Jazz às Quintas no CCB

Quinteto de Afonso Pais
28
de Junho

Afonso Pais não é apenas um de vários guitarristas do jazz nacional, é um proeminente compositor e músico, um excelente exemplo da extraordinária safra que a guitarra jazz portuguesa tem dado ao mundo nos ultimos 10 / 15 anos. O que salta � vista no seu quinteto é a frescura das composições, a solidez e o “interplay”, mas sobretudo a convicção de Afonso, em cada nota que dá, sem medos nem inseguranças, na certeza do caminho a seguir e num raro exemplo de maturidade. A música de Afonso Pais tem como propósito apelar ao imaginário do ouvinte, evocando lugares já visitados e outros reinventados. Assim surgiu um conjunto de temas que representam uma pesquisa numa direcção bem definida, sempre aberta � espontaneidade e ao imprevisto, apresentada sob a forma de canções.

Jazz às Quintas Hoje 21 de Junho

Ernesto Rodrigues/Manuel Mota/José Oliveira + Nuno Torres

Com formação clássica e a influência da escrita musical contemporânea, em especial a de Emmanuel Nunes, mas actividade na área da livre-improvisação e do chamado “near silence”, a grande paixão do violinista e violista Ernesto Rodrigues é claramente o free jazz. O percurso de Manuel Mota foi feito nos domínios do experimentalismo, mas o seu crescente interesse pelo “finger-picking” dos blues do Delta e pelos guitarristas históricos do jazz, como Wes Montgomery e principalmente Charlie Christian, levaram-no a assumir-se como um executante desta música, por pouco ortodoxos que os seus fraseados quebrados pareçam, objecto, aliás, do elogio de Derek Bailey, que o apontou como um dos grandes inovadores internacionais da guitarra na actualidade. Também performer, artista visual e poeta ligado ao Fluxus, José Oliveira será o percussionista português que há mais tempo se dedica � estética do free, surgindo como o equivalente nacional de Paul Lytton, Eddie Prévost, Paul Lovens e Lê Quan Ninh. Em trio, deles será de esperar um jazz do século XXI.

Mário Laginha Trio – “Espaço” ao vivo quase esgotado

No dia 26 de Junho, próxima Terça-Feira, vai ser apresentado ao vivo o último disco de Mário Laginha, “espaço”, no grande auditório da Culturgest. Este espectáculo está quase esgotado. ficam aqui as informações para ver se ainda conseguem uns bilhetes: http://www.culturgest.pt/actual/mario_laginha.html

Art Ensemble Of Chicago

Fotos Concerto Evan Parker/Paul Dunmall/John Edwards/Chris Corsano na Trem azul

Fotos de Hernâni Faustino

Rodrigo Amado/Carlos Zíngaro/Rashiim Ausar Sahu no CCB

Jazz às Quintas

07 Junho às 22h45

Derivação do projecto já documentado em disco de um invulgar trio constituído por um saxofonista, um violinista e um contrabaixista, com a diferença de este último ser agora Rashiim Ausar Sahu no contrabaixo e não o Ken Filiano que ouvimos em “Space Between”. Mentor e alma dos Lisbon Improvisation Players, Rodrigo Amado é bem o exemplo do músico que, nunca recorrendo à composição ou à leitura, utiliza um discurso idiomático próprio de uma música simultaneamente escrita e improvisada como é o jazz, aplicando-o nos mais diversos contextos, mesmo que não especificamente jazzísticos. Figura de relevo na cena internacional da chamada “música improvisada europeia”, Carlos “Zíngaro” é outro exemplo de um músico à vontade nas situações mais díspares, ora conotadas com o jazz, ora de condição “experimental”.

Create a free website or blog at WordPress.com.